Zen

Estudar o caminho de buda
É estudar a si mesmo
Estudar a Si mesmo
É esquecer-se de Si mesmo
Esquecer-se de Si mesmo
É estar iluminado por todas as coisas
Estar iluminado por todas as coisas
É libertar seu próprio corpo e mente
e o corpo e mente dos outros...


Mestre Dogen

Quando Alguém Pergunta, " Qual o Caminho ? " O Zen Responde Simplesmente Caminhe...


mensagem do petrô

texto sobre Ivan Petrovitch

UM "HAIJIN"

Como dizia Cézanne, "a sensibilidade caracteriza o indivíduo e,no seu grau mais elevado,distingue o artista."

Ivan Petrovitch é um verdadeiro artista,que vê as coisas e acontecimentos com olhos amanhecentes,às vezes de criança.

O mundo que as pessoas percebem,no cotidiano apressado,possui outras faces,inéditas,que os haicais de

Ivan captam,em "insights" criativos.

Dois exemplos:

incêndio na mata

galhos secos e retorcidos

ferem os olhos de Deus

são tantas estrelas

neste universo sem fim

cadê minha mãe ?

Impossível não perceber nestes poemas concisos a transcendente iluminação poética(principalmente no se-

gundo,já que se refere a estrelas...)

CLÁUDIO FELDMAN - autor de mais de 47 livros, professor e poeta.

lua

lua

caqui

caqui

chuva

chuva

borboleta

borboleta

10 de nov de 2010

celebração

"A verdadeira celebração deveria vir de sua vida, na sua vida.
      E a celebração não pode estar de acordo com o calendário, que no primeiro dia de novembro você irá celebrar. Estranho, o ano todo você é miserável e no primeiro dia de novembro, de repente, você sai da miséria, dançando. Ou a miséria era falsa ou o primeiro de novembro é falso.; ambos não podem ser verdadeiros. E uma vez que o primeiro de novembro se vai, você está de volta em seu buraco negro, todo mundo em sua miséria, todo mundo em sua ansiedade.
      A vida deveria ser uma celebração contínua, um festival de luzes por todo o ano. Somente então você pode se desenvolver, você pode florir. Transforme pequenas coisas em celebração... Tudo o que você faz deveria expressar a si próprio; deveria ter a sua assinatura. Então a vida se torna uma celebração contínua. "


                                            Osho

18 de out de 2010

Canção para Daphinie


descansa
no silêncio branco
da folha de papel
a poesia

descansa onde as folhas caem
onde amansa o açoite das águas
descansa nos olhos de Daphinie

na voz do vento
na  música da chuva
na ternura das asas

no outro lado impenetrável das coisas
no murmúrio das horas
no mar, no sol, na lua, nas ruas

na ânsia de quem espera o amor que não vem

descansa
a poesia
nuinha em flor...



Ivan Petrovitch

27 de out de 2008


























recolhe oditian
os cacos do vaso chinês
cadê a barata?



petrô


































triste sonata
a cigarra cantava 
presa na jarra

petrô






sob o formigueiro
asas secas de cigarra
pausa para ciesta


petrô





por instantes
todas as cigarras calam
parece combinado


petrô









um som estridente
na primeira luz do dia
prosa das cigarras


petrô







acabou a chuva
uma orquestra de repente
cigarras em festa


petrô






no bosque de londrina
com o forte cheiro da cannabis
a cigarra desafina


petrô






tarde de verão
na garganta o canto arranha
cigarra na mão


petrô








































numa tarde quente
um romance de elefante
quanto sacrifício!

petrô































por cintilante fio
acasalam-se as pétalas
borboletas no cio
petrô


























dentro da montanha
pulsa o coração do urso
reverbera o inverno

petrô



























o amor é a magia
que os momentos eterniza
e a alma alivia

petrô


























na teia de aranha
treme e remexe o mosquito
com isto quem ganha?

petrô
























pinheiros esperam
no silêncio do silêncio
o fim do inverno

petrô















seria um crime
tirar o gato preso na garganta
de Dolores O'Riordan




petrô

29 de set de 2008

Haikai
















tinta de amora
em pena de galinha
trabalha o haijin


petrô
























flor de cerejeira
caindo ao entardecer
jovem soldado






petrô






































contorcendo-se
ao dobrar origamis
Circuito sorri

petrô































quando o sol se põe
os girassóis prostam-se
tempo de dormir

petrô























toda carmesim
azaléia vermelha
enfeita o jardim

petrô
























chuva de verão
o cheiro, quase tem gosto
terras do sertão


petrô





"Sua beleza provém da contenção,
o que é apenas insinuado,
da economia de recursos e da
modéstia dos objetivos.
Uma forma de resumir o haikai
é dizer que ele é a arte de, com o
mínimo, obter o suficiente. Uma
arte minimalista, portanto. Daí
vem a sua característica mais
notável, que é a aliança de simplicidade
de forma com sutileza espiritual.
E o efeito mais impressionante
do haikai é que uma anotação
rápida e lacunar de uma
cena qualquer produz muitas
vezes, no leitor, uma impressão
poderosa, que fica vibrando na
memória, sem muita explicação.
Nada disso se encontra na trova,
de modo geral.
Penso que é o fato de não haver,
na nossa tradição, um gênero de
poesia que junte simplicidade formal,
sofisticação e apelo popular
que se deve justamente a grande
voga do haikai no Brasil."





Paulo Franchetti







Universidade Estadual de Campinas
























mergulho de rãs
no silêncio da manhã
piscar de olhos


petrô

































pássaros comem
espantalho observa
 surge um sorriso


petrô





















hagoitasakurahototogisumomijiyuki


















18 de set de 2008

haikai


































      no velho tronco
brota o verde, esperança
         a vida resiste


               Petrô
























    a força do vento
faz a palmeira inclinar
   saudando o tempo

                   Petrô



















o canto do grilo
moldava o espirito
 no pulo das horas

        Petrô




                    dedicado a Dolores O'Riordan
















video

5 de ago de 2008

Teias

aos poucos
conexão perigosa
sonhos janelas
em noites e nets
em noites e chats

aos poucos
mar de ícones
barcos da noite
em tardes e prints
em tardes e bytes

aos poucos
as teias dos sites
um jeito de amar
em dias e cliques
em dias e-mails

aos poucos
configuramos uma nova página
deletamos os medos
tudo tão perto!

holográficos os portos

aos poucos

a solidão é tão hard
e vc, meu grande amor,

Virtual...


(para violeta)


Ivan Petrovitch



boca vermelha
explosão de estrelas
beijo de abelha

Petrô




a lua brinca
de esconde-esconde no céu
a vida mingua...

Petrô


Reflexão

pesquise no blog

Pesquisa personalizada